Perfil: André Ferraz

  • Rating 12345

AndreO Psicólogo e Coach de vida André Ferraz acumula 12 títulos nacionais de 4way, e ele se apaixonou pela modalidade antes mesmo de fazer o primeiro salto da sua vida. Hoje, parte de um dos principais times brasileiros, CTR Optmum, se dedica a levar o nome do Brasil em competições internacionais. Conheça um pouco do perfil do atleta.

 

 

André Corrêa de Toledo Ferraz

Idade: 37

Nascido em: 3 de Abril de 1976

Natural de: São Paulo – SP

Profissão: Psicólogo, Coach esportivo e de vida

Formação: Psicologia pela UniFMU e Coaching pela Sociedade Brasileira de Coaching

Patrocinadores: Wings, PD, Vigil, Larsen & Brusgaard e Skyleno

Container: Wings

Velame principal: Katana 107

Reserva: Optimum 126

DAA: Vigil

Modalidades: TR (FQL 4), mas adoro TODAS as formas de voar

Licenças: instrutor AFF, BBF e Tunnel Coach LVL IV IBA#: 83ID71LD

Títulos: 12x campeão Brasileiro de FQL 4 e 6x campeão de FQL 8

Nome do time: CTR Optimum

Posição no time: Outside Center

Atual Área de Salto: Boituva e Skydive Arizona

Primeiro salto: Em Piracicaba em 1995 (ASL) com o instrutor Fisher

Número de saltos: 8.000+

Total de reservas: 9

A maioria das pessoas não sabe sobre mim:

Que eu trabalho com Life Coaching (Coach de Vida e Profissional) – www.ferrazcoaching.com.br

Qual seu lema no paraquedismo?

Aprender se divertindo e repassar o aprendizado para o maior número de pessoas.

Como você se interessou pelo paraquedismo?

Já tinha este sonho, mas quando vi o filme Caçadores de Emoção fui logo procurar uma escola.

O que você mais gosta no esporte?

Os desafios que o esporte proporciona (treinos e competições), mas principalmente saltar com os amigos.

O que você menos gosta no esporte?

Ainda a “fogueira de vaidades” que rola, fofocas e etc. Falta um pouco mais de união pelo esporte e pela vida.

Você tem algum mentor dentro do esporte?

Tenho dois: Jack Jefferies e Craig Girard (ambos fizeram parte da equipe Arizona Airspeed).

Qual o item de segurança que você acha mais importante, e que os atletas muitas vezes negligenciam?

Não sei se negligenciam, mas o uso do DAA.

Como você se interessou por 4-way?

No meu curso para fazer o primeiro salto, antes de iniciar a aula o instrutor deixou rolando um vídeo de paraquedismo onde tinham imagens do time Arizona Airspeed de 1994 (Jack Jefferies, Kirk Verner, Dan BC e Mark Kirkby). Olhei aquilo e perguntei ao instrutor quando e como eu poderia fazer aquilo.

Qual foi o momento mais marcante pra você em todos esses anos como atleta?

Em 1997 quando fui pela primeira vez no Boogie de Ubatuba e saltei de King Air pela primeira vez também com o Jack Jefferies e Kirk Verner. Foi um sonho realizado.

Como você avalia o nível dos times brasileiros comparados com outros países? O que você acha que falta para evoluir mais?

O Brasil vem evoluindo sem dúvida nenhuma. Durante a década de 90 a equipe Action fez história e levou o Brasil a um determinado ponto no cenário nacional e internacional. A partir de 2002 a equipe Optimum se formou e de lá pra cá muitos atletas passaram nesta equipe ajudando a desenvolver um trabalho de longo prazo focado não somente no resultado, mas sim no desenvolvimento do esporte, melhora no ranking internacional, atrair patrocinadores e investidores e principalmente ensinar tudo o que se aprendeu e vem aprendendo. Comparando ao cenário mundial, hoje estamos na 15º posição do mundo (resultado da última competição internacional). Para o Brasil chegar entre os 10, precisamos de mais patrocínios para saltar e principalmente apoio das áreas de saltos que infelizmente não estão abrindo mais espaços como antigamente para treinamentos das equipes. Estão priorizando os Tandems. Entendo perfeitamente, mas como todo esporte, o crescimento vem através das competições, treinamentos e evolução técnica. Temos atletas e equipes dispostas e de altíssimo nível técnico, porém precisamos proporcionar um ambiente favorável para esse crescimento, caso contrário os times e atletas treinarão fora do Brasil. Um bom exemplo disso é o Brasileiro Thiago Gomes que esta no time dos EUA Arizona Airspeed e a equipe CTR Optimum que vem treinando há anos nos EUA.

CTR

CTR Optimum em Dubai

Qual a maior lição que você tira do paraquedismo para a sua vida?

Ele me ensinou a reconhecer meus limites e minhas qualidades, que proporcionaram a possibilidade de aprender a viver o AQUI e AGORA.

Qual a coisa mais engraçada ou estranha que já lhe aconteceu em um salto?

Nossa! Rssss…foram tantas ! Não lembro uma agora específica…mas sem dúvida meu teammate Fabio Diniz estava nela.

Quais são os planos para 2014 dentro do esporte?

Continuar treinando, competindo e ensinando. Mas quero muito também focar no projeto social que a Lize, Ju Sé e eu começamos o ano passado (AMO VOAR).

Qual a dica que você dá para quem está começando a saltar?

Procure uma escola/instrutores que valorizem o treinamento e competições de TR e FF. E que se possível alguém desta escola participe de competições, recordes e etc. Da parte técnica, faça treinos em túnel de vento também, pois é uma ferramenta fantástica. Mas sempre com um coach habilitado e preparado para esse trabalho.


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *