Perfil Érika Queiroz

  • Rating 12345

Erika QueirozO perfil desta semana é com a atleta Érika Queiroz, Cirurgiã Dentista que completa 10 anos de paraquedismo em 2014. com mais de 1mil saltos na caderneta, dois títulos nacionais de 4-way e recordista mundial de formação em queda livre, podemos dizer que é uma referência para o paraquedismo brasileiro. Hoje ela divide a rotina entre o Centro Cirúrgico e o circuito internacional de Big-Ways e é uma das capitãs do Recorde Brasileiro de FQL.

 

Érika Queiroz Assumpção Pereira

Idade: 44 anos

Profissão: Cirurgiã Dentista

Formação: Graduação em Odontologia; mestre em Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacia

Container: Sun Path Javelin Odyssey

Velame principal: PD Sabre II 150

Reserva: PD Optimum 143

DAA: Airtec CYPRES 2

Modalidades: FQL, 4 WAY, BIG WAY

Licença: Instrutora BBF

Recordes: Recordista Mundial Feminino – 181WAY (2009 – Perris-CA) Recordista Brasileira FQL – 103WAY (2013 – Perris-CA) Recordista do Norte do Brasil – 37WAY (2011 – Manaus-AM)

Érika2

Belatrix 4-way team

Títulos: Bi Campeã Brasileira 4-way feminino

Nome do time: Bellatrix 4-way team

Posição: Insidecenter

Atual Área de Salto: Barra do Vento em Boa Vista – Roraima

Primeiro salto: AFF nível I, abril de 2004 em Manaus – AM. Escola Skydive Amazonas, Instrutores: Marcos Gaertner e Auri de Vargas

Número de saltos: 1200+

Total de reservas: 02

A maioria das pessoas não sabe sobre mim:

Que o Ballet Clássico fez parte da minha vida por muitos anos. Sou formada pela Academia Real de Ballet da Inglaterra

 

O que você mais gosta no esporte?

Voar e fazer amigos pelo mundo todo!

 

O que você menos gosta no esporte?

Dobrar o paraquedas.

 

Como você se interessou pelo paraquedismo?

O que me levou a saltar foi o desejo de conhecer mais sobre o esporte e principalmente a vontade de deixar de ser expectadora e experimentar as inúmeras sensações que o paraquedismo poderia proporcionar.

 

Qual a coisa mais engraçada que já aconteceu em um salto?

Reunimos uns amigos e decidimos saltar vestidos de Papai Noel e Mamãe Noel. Compramos as fantasias, fizemos o briefing do salto e lá fomos nós. Durante o salto as fantasias foram se desfazendo e quando pousamos estávamos totalmente aos farrapos!!

 

Você já foi duas vezes campeã brasileira de 4-way na categoria feminino, o Brasil tem poucos times femininos, o que você acha que falta para alavancar mais o esporte entre as mulheres?

Eu poderia enumerar vários motivos, mas acredito que nós mesmas, mulheres paraquedistas, somos responsáveis por alavancar o esporte. Temos que deixar de “mi mi mi“ ir para as áreas de salto e saltar, ocupar nosso lugar, pois é exatamente isto que os homens fazem. Ter um time de 4 way feminino ou masculino não é fácil para ninguém, necessita de muito treino, comprometimento, investimento de tempo e dinheiro.

 

Belatrix 4-way team 1 lugar no Campeonato Brasileiro de 2010

Belatrix 4-way team 1 lugar no Campeonato Brasileiro de 2010

Qual a maior dificuldade que você já enfrentou em um time de 4-way?

Acho que a maior dificuldade foi o relacionamento interpessoal. Conviver com pessoas diferentes por muitos dias, nos leva ao limite das nossas emoções. Fica muito complicado saltar com um teammate que não temos um bom relacionamento no chão!

 

Você é uma das poucas paraquedistas brasileiras que está no circuito internacional de Big-Ways, quais são os planos para 2014?

Pretendo participar de alguns eventos do P3, do BW2P (Recorde Brasileiro) e Recorde Feminino Mundial – 200 Way. Quem gosta de Big-Ways sempre quer uma maior, quer um desafio maior e eu não sou diferente!

 

Qual a dica que você dá para quem está interessado em começar a treinar para grandes formações?

Pratique o paraquedismo dentro de suas habilidades. Esteja sempre atento a tudo e preparado para as panes. Na dúvida faça o procedimento de emergência.


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *