Paraquedismo e Solidariedade: Projeto Amo Voar completa um ano

  • Rating 12345

1982182_10201427810686980_793950167_nNo próximo dia 22 de março o Projeto Amo Voar realiza mais um evento beneficente na área de saltos de Boituva em São Paulo, a programação vai marcar a comemoração de um ano do Projeto, com um dia de recreação para crianças carentes, Workshop para os atletas e Show Musical.

O evento deve iniciar por volta das 8h da manhã com saltos de Big Way organizados pelo CTR, e saltos de Freefly organizados pelo Coach Bob Cusp. As 10h da manhã a área vai receber a visita de crianças da Casa Abrigo, uma instituição que cuida de crianças em situação de risco (órfãos e vítimas de maus tratos), elas vão ter um dia de recreação, com piscina, videoke, lanche, e várias brincadeiras. Às 18h acontece o Workshop de Fotografia com o Câmera Fly e fotógrafo Rick Neves. E a noite terá festa com Show da Banda de Blues e Rock, Bluesmerangue.

“Sempre fazemos uma festa no fim do evento, pois além de exercitar a solidariedade incentivando as doações e compartilhar conhecimentos entre os atletas com os WorkShops, o Projeto também pretende juntar as escolas em uma grande confraternização”, disse Juliana Sé, uma das criadoras do Projeto.

1903003_599703080124429_1813808257_n 1653947_596289750465762_1970584032_n1922394_596288863799184_766996251_n1655858_596814810413256_1262432665_n

As inscrições para os saltos de BigWay, Coach de Freefly e para o Workshop de Fotografia custam dois quilos de alimentos não perecíveis. Os alimentos arrecadados serão doados à instituições de caridade.

Atletas, amigos ou familiares também estão convidados a ajudar no Projeto, seja com doações ou sendo voluntário no dia do evento, basta acessar a página Amo Voar no facebook e entrar em contato com a organização.

O Projeto também deu início a uma campanha de incentivo a doação de sangue para ajudar o Banco de Sangue de São Paulo, quem puder ser doador pode procurar os vários pontos de coleta do HCor ou do Pró-Sangue.

Um ano de Amo Voar

Em março de 2013 os paraquedistas Juliana Sé, Liziane McGuire e André Ferraz se juntaram em prol de uma ideia em comum, ajudar instituições de caridade em Boituva. Eles conseguiram mobilizar dezenas de atletas com o mesmo objetivo, e assim surgiu o Projeto Amo Voar.

“Durante muitos anos o paraquedismo Brasileiro cresceu graças a estrutura que Boituva proporcionou para o esporte, temos um bom aeroporto, hotéis, bons restaurantes para os atletas, escolas para os filhos dos instrutores, então sentimos a necessidade de retribuir um pouco para a cidade” informou Juliana.

Palestra com a Monja Budista Coen Sensei

Para dar início ao projeto eles aproveitaram a festa de aniversário de Liziane e um WorkShop de paraquedismo oferecido por André para arrecadar alimentos não perecíveis. Só neste primeiro evento eles conseguiram arrecadar mais de 200 quilos de alimentos que foram doados para a Casa Peniel, que abriga moradores de rua em Boituva.

Juliana Sé tem mais de 20 anos de experiência no paraquedismo, é instrutora AFF, Câmera Fly e Coach de Túnel, em 2013 ela estava afastada do esporte por questões pessoais, mas o projeto Amo Voar a trouxe de volta para Boituva. “Hoje o Amo Voar é minha principal contribuição para o paraquedismo, foi o que me incentivou a voltar”, disse.

O segundo trabalho do Amo Voar foi em junho de 2013, com a palestra da Monja Budista Coen Sensei, ela falou sobre Paz, Interconectividade e Harmonia para os atletas, que também participaram de um aulão de Yoga. Neste evento foram arrecadados agasalhos e cobertores para a Casa Peniel.

Paraquedistas participam de aulão de Yoga

Em outubro, próximo ao dia das crianças o Projeto ajudou a Casa Abrigo com a doação de brinquedos. Os atletas participaram de um Workshop com a Instrutora de SlackLine, a americana Nina, Psicóloga e Economista que viajou todo o Brasil de bicicleta.

Em dezembro o Amo Voar se juntou com o Clube da Lenha em uma ação de Natal, 70 crianças da Casa Abrigo e de um Bairro carente de Boituva foram pela primeira vez a área de saltos, assistiram ao salto do Papai Noel, tiveram um dia de lazer e receberam presentes de Natal. “Cadastramos todas as crianças e cada uma foi adotada por um atleta no dia do evento, todas ganharam presentes” informou Juliana.

“Nosso objetivo agora é fazer com o Projeto cresça e tenhamos cada vez mais colaboradores, todo mundo pode ajudar como puder, seja com uma doação grande ou pequena, ou até doando um pouquinho do seu tempo para um trabalho voluntário” acrescentou Juliana.


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *