Perfil: Flavia Lopes

  • Rating 12345

flavia_pqdFlavinha é um dos nomes mais conhecidos no paraquedismo feminino no Brasil, uma das pioneiras em times de 4-way feminino, três vezes vice-campeã brasileira na modalidade, Recordista Brasileira de Big-Way, hoje ela se dedica a organizar o Recorde Feminino de 2014, com o objetivo de juntar 40 mulheres nos céus do Brasil. Conheça um pouco mais do perfil dessa atleta que já acumula 15 anos de experiência no esporte.

Nome completo: Flavia Annunziata Lopes

Apelido: Flavinha

Idade: 40

Nascida em: São Paulo

Profissão: Gerente de Marketing

Formação: Radialista (Radio e TV)

Patrocinadores: atualmente nenhum mas ja tive muito apoio da Naturae no time de 4 way

Container: Wings

Velame principal: Sabre II – 135

Reserva: Optimum 143

DAA: Vigil

Modalidades que pratica: 4 way e Grandes Formações. (às vezes me aventuro no freefly que eu tenho uma “queda” e gostaria de retomar um dia o Wing Suit que eu iniciei e tive que parar)

Licenças: Sou atleta

Principais recordes:

Recorde Brasileiro Feminino 2008 24way;

Recorde Brasileiro Feminino 2012 25way;

Recorde Brasileiro e Sulamericano 82way;

Recorde Brasileiro e Sulamericano 102way;

Títulos:

Vice Campeã Brasileira de 4way com Ladies First 4way Team nos anos de 2012, 2011, 2010.

Vice-Campeã Brasileira de 8 way com Ladies Fenix em 2011.

Nome do time: Ladies First 4 way Teamflavia_track_ladies

Posição no time: Front (mudando pra Inside Center no momento)

Atual Área de Salto: CNP Boituva

Primeiro salto: um duplo em Boituva em 1999

Número total de saltos: 960

Total de reservas: ZERO

A maioria das pessoas não sabe sobre mim:

Certamente muita coisa… em breve me tornarei piloto, talvez muita gente não saiba. Com toda a calma e humildade que eu acredito que um piloto precisa. Estou como que terminando o “AFF” na aviação, rsrs.

Como você se interessou pelo paraquedismo?

Após realizar o meu salto duplo parece que o tempo congelou por uns dias. Precisei dar continuidade pra entender o que tinha mudado em mim depois daquele dia.

O que você mais gosta no paraquedismo?

A paz que eu encontro quando estou no ceu e algumas seletas pessoas que se tornaram realmente grandes amigos.

O que você menos gosta no paraquedismo?

O ego.

Como você se interessou por 4-way? Existiu alguma influência?

Durante o Recorde de FQL Feminino de 2008 conheci mulheres incriveis e tivemos a ideia de formar um novo time de 4 way feminino para competir com Kate Mahoney, também na época recém formado. Acho que durante aquele evento o espírito de coletividade e a ideia de construir algo grande junto com outras atletas me encantou.

fotoCover_balaoAZ_melon

Como você concilia a vida profissional com o esporte? Você tem o apoio da sua família?

Basta você querer muito algo que você faz caber na sua vida. Minha família sempre me apoiou e admira. Alguns também já experimentaram. Ficam apreensivos, muitas vezes, principalmente nos eventos de big way.

Você é uma das organizadoras do Recorde Brasileiro Feminino de Formação em Queda Livre em 2014. Qual a meta este ano? 

Este ano pretendemos colocar 40 atletas numa formação, batendo o último recorde de 25 way com um 40 way. Não temos tido muita dificuldade até o momento, acho que o mais difícil ainda esta por vir, já que em breve teremos que começar a juntar as mulheres de todos os lugares do país. Temos muitas atletas competentes fora da região sudeste. De uma lista de aproximadamente 100 mulheres, teremos que selecionar as 40 mais aptas.

Como está sendo o caminho para juntar as atletas brasileiras para o Recorde?

Não é facil, sabermos o quão caro é o nosso esporte e a falta de bons apoiadores e patrocinadores. As atletas batalham muito pra poder se bancar no esporte e num evento como este, hospedagens, deslocamentos, etc somam uma boa diferença ao total investido.

Qual o seu maior sonho dentro do paraquedismo?

Se eu conseguir plantar pequenas sementes nas pessoas que estão à minha volta para que pensem sempre de forma coletiva, e se eu puder transformar um pouquinho só o ambiente em que eu estiver em prol de um esporte melhor, estarei realizando sonhos. Através da organização do recorde tenho tido a chance de realizar um pouco isso com as minhas parceiras, Ziara, Bia e Vanessa.

fla_velamenovoVocê tem algum mentor dentro do esporte? O que essa pessoa significa pra você?

Ninguém representa a verdade absoluta. Tenho alguns mentores, algumas pessoas a quem gostaria de consultar num momento de dúvida para que eu possa construir meu caminho e meu pensamento como atleta. Atualmente posso citar alguns nomes: Pedrosan, que me acompanha desde meu AFF; Daiton (CTR), que faz um trabalho bem bacana com meu time; Kaio (piloto 4FUN e namorado), que me ensina muito sobre aviação no paraquedismo; Ziara, tem me ensinado muito sobre conduzir o Recorde; Renato Gordinho, pra quem certamente recorro quando o assunto é equipamento. Muitas outras pessoas me inspiram no esporte. Poderia citar muitas outras.

Qual a coisa mais engraçada ou estranha que já lhe aconteceu em um salto? 

Perder um pé de tênis durante um salto é muito estranho. Ainda mais quando sua amiga o arranca na saída do avião. Parece que a gente voa manca! E o pouso é esquisito, rs. Esse dia eu ri muito.

Qual a dica que você dá para quem está começando a saltar?

Humildade e muita informação. Não queira acelerar seu processo, visando acumular saltos. O tempo de vivência no esporte conta muito e a gente continuará sempre de certa forma ignorante. Aproxime-se dos sábios, de vários deles. O esporte tem muitos e às vezes os que servem pra você não são os que você está vendo todos dos dias. Participe de todos os eventos que puder.


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *