Pouso fora da área?

  • Rating 12345
Texto de: Lesley Gale
Original em inglês: Bad SPOT?

2xYC3PpvThaB36nF4Zitxw

Foto: Nigel Holland

Salto maravilhoso, track incrível, abertura suave… comemoração…Oh-ow? Onde diabos está a área de pouso?

Se depois que seu velame abre você percebe que não vai conseguir chegar na área, o que você faz? Abaixo de você tem todo tipo de perigo; casas, árvores, fios, água, talvez até alguém armado protegendo uma área! A decisão que você tomar nos próximos dois minutos vão fazer a diferença entre se machucar ou sair andando… e você precisa decidir rápido, pois o relógio está correndo…

Tome uma decisão rápida

Mesmo que você não tenha certeza se vai conseguir chegar na área de pouso ou não, tome uma decisão rápida, talvez você não chegue, então comece a procurar por alternativas. Não fique cegamente tentando chegar o mais perto da área de pouso possível. Fora da área é fora da área; é melhor você pousar na área mais segura do que tentar chegar mais perto. Então, vá em direção a área, mas sempre buscando possíveis áreas de pouso.

Dica: Se você não conseguir localizar a área de pouso, confira a direção dos outros velames no ar.

Mantenha altitude

A altitude é sua amiga. Quanto mais alto você está, mais tempo você tem para tomar uma decisão, isso ajuda a manter a cabeça fria. Você tem mais opções enquanto está mais alto. Use os freios para manter altitude.

Dica: Planeje afrente: tudo pode acontecer muito rápido quando está chegando perto do chão

cebVFndbQ7OiK1NU3NLJWg

Campo de Golf, área alternativa de pouso perfeita. Foto: Norman Kent

Voltando de um lançamento longe da área

Se o vento está atrás de você, você tem grandes chances de chegar na área… Coloque o velame em meio freio, ou no melhor ângulo para planar; você deve ser capaz de sentir isso. Encolher o corpo também cria menos resistência ao vento. Dobrar as pernas e levantá-las e trazer os braços pra perto do corpo talvez façam a diferença entre conseguir chegar ou não.

Dica: Eu acho que um método menos cansativo de manter minhas pernas pra cima é segurar com as mãos levemente na altura dos joelhos (ainda segurando os batoques é claro), focando em voar o velame no melhor ângulo plano possível.

Mesmo enquanto você estiver tentando chegar na área, esteja atento que talvez você não faça isso com segurança. Acompanhe o seu progresso durante o processo (use o altímetro) e procure por áreas alternativas.

Altitude limite

Você deve ter uma altitude pré-determinada como “altitude de decisão”, nessa altitude você já deve ter decidido onde vai pousar. Normalmente essa altitude é antes de entrar no padrão para o pouso. Por exemplo, se o seu padrão para pouso começa em 1,200 pés, então qualquer decisão de área de pouso deve ser feita antes disso.

Esteja atento a armadilha da curva baixa

Muitas pessoas que normalmente não fariam uma curva perto do chão, se envolvem em uma quando tentam voltar de um lançamento fora da área. É fácil deixar o vento te levar até que seja tarde demais para fazer uma curva de 180 graus com segurança. Um número alarmante de atletas se machucam gravemente ou morrem batendo no chão durante uma curva. Para evitar isso – planeje. Então você terá escolhido uma área de pouso alternativa ainda na sua altitude limite.

Se, apesar das suas intenções, você se encontrar com vento de cauda a baixa altitude, então:

–       Use uma curva flat, sem batoques ou tirantes

–       Esteja atento que sua maior prioridade é pousar com o velame no nível de vôo

–       Prefira um pouso com vento de través ou cauda do que uma curva baixa

–       Um rolamento pode minimizar os riscos de um mau pouso.

Curvas flat

Para fazer uma curva flat, coloque o velame em meio freio, então levante um dos batoques do lado oposto a direção que você deseja curvar. Esse tipo de curva perde menos altitude do que uma curva de batoque ou tirante, e é mais fácil de parar se você precisar manter o nível do velame para pouso.

Como a velocidade de uma curva flat afeta a perda de altitude?

Se você fizer uma curva flat rápida e agressiva você perde mais ou menos altitude do que uma curva devagar? Essa é uma das coisas mais importantes que você tem que saber… e não é o que a maioria das pessoas presumem.

Vento de nariz fora área?

Se o vento não está atrás de você, então esse foi realmente um mau lançamento! Agora você tem menos espaço de manobra e suas chances de voltar pra área são mínimas (a não ser que você tenha comandado bem alto). Procure áreas de pouso alternativas; Se nada está parecendo seguro a sua frente talvez a melhor opção esteja atrás de você.

Possíveis áreas de pousoU97ivMTvQ7WdJmxzpn3UVA

Escaneie o chão abaixo, a frente e atrás de você por possíveis áreas de pouso. As áreas mais desejáveis estão listadas abaixo, em ordem de prioridade. Sua experiência e habilidade de pilotagem vão ajudar a decidir quais os fatores da lista são importantes.

–       área ampla e limpa

–       sem obstáculos ou com poucos obstáculos comparada com o entorno

–       nivelada

–       superfície não abrasiva (preferencialmente grama, não asfalto), ideal que não seja pantanoso

–       fácil de pousar com vento

–       livre de animais (bois podem atacar ou pessoas podem ficar chateadas se você pousar perto do cavalo de corrida campeão delas)

–       que tenha rota de saída

–       próximo a alguma casa/assistência

–       um bar amigável com um jardim cheio de cerveja 😉

Escolha um plano A e um plano B (e um plano C, D…); dessa forma se você perceber que a 1500 pés o plano A é na verdade uma área alagada ou cheia de jacarés, você já tem uma alternativa.

Perigos

Procure com atenção do alto por fios de telefone ou eletricidade; você provavelmente não vai vê-los a 2 mil pés de altitude, então procure por postes de energia. Se você escolher uma área cercada próxima a área residencial, essa área provavelmente tem fornecimento de energia, então procure por cabos até que os encontre.

Se você está acima de uma grande área de água, como mar, ou um lago, sair dela é a prioridade. Se pousar em uma área inclinada é inevitável, então é melhor pousar paralelo a encosta do que morro acima ou abaixo (pense sobre isso).

Fique atento a plantações de uvas; de cima parecem áreas convidativas para pouso, mas são cheias de fios que podem machucar. Também evite plantações de milho (áreas amarelas), as plantações podem ter entre um e dois metros de altura e podem enrolar em você; sair de lá pode ser um pesadelo. Se você escolher pousar em uma plantação, lembre que o chão pode estar de um a dois metros abaixo do topo da plantação, então faça um flare apropriado. Um gramado é preferível.

5edLgTAvTzuU1_VlVzjRQg

Plantações parecem boas áreas de pouso, mas é difícil de julgar a altura do flare. Foto: Lewis Jones

Procure os seus amigos

Olhe para os lados para tentar localizar os outros paraquedistas que estavam na mesma decolagem; veja se você consegue perceber se todos concordaram com a melhor área de pouso. É bom pousar em grupo no mesmo lugar; mais fácil de checar se está todo mundo ok.

Direção do vento

Se você localizou duas áreas que parecem similares escolha a que tiver o maior comprimento na direção do vento. Você já deve saber a direção do vento antes de entrar no avião, inclusive a direção dele em relação a alguma referencia em solo, como uma montanha, o sol, a cidade, etc; Então tenha isso na cabeça. Se você não tem certeza da direção do vento, você deve ser capaz de descobrir sentindo a velocidade do seu velame em várias direções.

Dica: Se você ainda não tem certeza da direção do vento, se possível guarde altitude com os freios puxados e espere alguém fazer o padrão primeiro… Se essa pessoa pousar levantando muita poeira certamente ela escolheu a direção errada 😉

Depois de pousar

Se reúna com o grupo, assim fica mais fácil para os responsáveis da área encontrarem vocês. Se você tiver que andar uma longa distância no calor para chegar em algum lugar, talvez seja melhor dobrar o paraquedas primeiro. Se você tiver perto de uma estrada mantenha seu paraquedas sem dobrar e levante o dedão para pedir uma carona. Se você estiver perto de uma área habitada, peça para alguém ligar para a área de saltos e avisar que todos estão bem e informar sua localização.

SpB7skWESQWPY2GMHGwneQ

Planeje uma rota de saída. Foto: Jarno Cordia

Evite

Claro que em primeiro lugar o melhor é não ser lançado fora da área. Se você é responsável pela sua própria saída da aeronave, dê uma olhada antes e cheque onde o avião está e então tome uma decisão. (Dependendo do planejamento do seu salto você talvez tenha que abrir um pouco mais alto se isso for seguro, ou espere o avião dar mais uma volta.)

Desafio Reserva no quintal

Performance Designs criaram uma excelente iniciativa onde o desafio é pousar um velame reserva em um “quintal” cheio de obstáculos (infláveis). Esses eventos ajudam a praticar pousos fora da área, ou você também poderia organizar um na sua própria área de saltos.

GYlNVlKZRHiZpKMXAWMbfQ

Desafio: Pouso de precisão com reserva no quintal. Foto: PD

Anedota

Eu gosto de ocasionalmente pousar fora. Eu não faria isso de propósito, mas se é inevitável eu aproveito o desafio e é sempre um pouco de aventura. Meu lançamento fora da área preferido de todos os tempos foi em um domingo no Reino Unido. Não tinha chance nenhuma de a gente conseguir chegar na área de pouso, e abaixo de nós tinha uma fazenda e um churrasco com umas 50 pessoas e crianças… além disso tinha uma perfeita área cercada, com o comprimento perfeito na direção do vento. Como a maioria dos paraquedistas, nós não poderíamos resistir a oportunidade de fazer swoop para uma plateia… gritos, torcida e aplausos. E todo mundo aplaudiu também o organizador do evento por arranjar aquela demonstração. O evento era um tipo de encontro surpresa de uma escola dominical! Eu não pude argumentar com o organizador quando ele comentou, “O Senhor age de formas misteriosas”!

P.S: É melhor aprender as técnicas e habilidade de voo antes ao invés de esperar um lançamento fora da área para tentar descobrir o que fazer. Existem muitos cursos excelentes de pilotagem de velame, procure um.

Lesley Gale

Lesley Gale

Recordista de Formação Feminina Britânica
Membro do time de 8-way do Reino Unido
Recordista Mundial de Formação
Capitã do P3
Editora do www.skydivemag.com

 


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *