Wing Load e Alta Performance

  • Rating 12345

Original em inglês: Wing Loading and High PerformanceSIg3IDTMRdaVDvsiodLwJw

Por John LeBlanc

O controle de velame nos dias de hoje é bem diferente do que costumava ser. Atletas mais pesados sob velames cada vez menores enchem os céus, com paraquedas robustos que são extremamente sensitivos ao movimento do batoque – principalmente no momento do pouso. Chegar seguro no chão está se tornando mais complicado para os atletas com alto wingload, mesmo com todas as melhorias tecnológicas nos equipamentos.

Qualquer liberdade tem seu preço, e a decisão sobre qual o wingload voar não é exceção. Nós precisamos repensar nossas ideias sobre velames seguros se queremos evitar acidentes.

O que mudou?

Quatro ideias gerais vem a minha mente sobre o que vem mudando desde que comecei a saltar nos anos 70:

  1. Avanços na aerodinâmica dos paraquedas tem melhorado drasticamente as características do pouso. A melhora na aerodinâmica tem dado a esses atletas novas formas de testar seus limites saltando com paraquedas menores.
  2. No nível iniciante ou intermediário, os atletas são muitas vezes encorajados a diminuir para velames que ainda parecem grandes para os atletas atuais, mas são na verdade bem menores e mais rápidos que os mais avançados usados apenas há alguns anos atrás.
  3. É cada vez mais fácil cair na armadilha de pensar que aquele estudante ou novato aprendeu o básico de controle de velame só porque você observou que ele tem pousado suave em pé com frequência.
  4. Quando velames grandes eram a regra, era muito mais fácil para um atleta experiente manter o controle da navegação. Hoje os atletas demandam muito mais tarefas de pilotagem e muito mais atenção e concentração, além de habilidades que talvez só os experts tenham.

Isso significa que nós todos estamos cercados por uma alta concentração de atletas voando no limite ou além do limite das suas habilidade, mesmo que eles sejam experientes em queda livre.

Agora, combine esses quatro fatores e o que nós temos? Os registros de acidentes respondem a essa questão.

Alto Wing Load

Vamos buscar uma maior compreensão das mudanças criadas por um alto wing load.

Definição de Wing Load: Wing Load é a relação de quanto peso é carregado pelo tamanho do paraquedas. Para calcular o Wing Load, pegue o total do seu peso (incluindo container, principal e reserva) e divida pela área do seu velame.

5AkYGXWQRsWjXqL4of0uXAO que aumenta o Wing Load?

O que leva uma pessoa a mudar para um wing load maior? Normalmente uma das seis razões listadas abaixo.

  1. Diversão

Nós saltamos por diversão! A velocidade extra sob o velame gerada por um alto wing load pode adicionar mais diversão

  1. Mais resposta

Tratamento mais ágil e resposta rápida: pequenos movimentos nos controles produzem mudanças notáveis no vôo. Isso pode ser uma faca de dois gumes; o velame não liga se o seu comando foi correto ou não!

  1. Container menor

Você talvez queira um container bem pequeno igual ao que seu amigo tem. Todo mundo se empolga com um brinquedo novo de vez em quando, mas se lembre, é isso que pode salvar sua vida e trazer seu corpo inteiro para o chão.

  1. O wing load ”correto”

Você talvez pense que você precisa chegar ao wing load “correto”. Mas o que exatamente seria correto? Existe muita confusão. O peso máximo recomendado é frequentemente mal interpretado como sendo o peso exigido, ou mesmo o mínimo peso. A tabela de velames da PD mostra o mínimo de peso exigido bem abaixo do que a maioria imagina.

Wing Load é uma escolha pessoal. Se você sente que um certo velame talvez esteja muito pequeno sobre sua cabeça em uma situação difícil, considere aumentar um ou dois tamanhos. Você ainda vai ter uma boa performance e pousos se o velame tiver um bom design.

  1. Swoop

Pousos com longo mergulho e velocidade são divertidos; a habilidade para atingir taxa zero de descida durante o flare vai permitir pousos sem incidentes com alto wing load. Mas não esqueça que a aerodinâmica refinada não garante automaticamente bons pousos, apenas o potencial para um. Conforme o wing load aumenta, diminui o perdão.

  1. Não ser levado pelo vento

Altos wing loads podem ajudar você a evitar ser levado pelo vento. Mas, altos ventos normalmente significam altas turbulências. A habilidade de penetrar a camada de vento talvez dê a você a falsa sensação de segurança em ventos que provavelmente você deveria esperar passar no chão.

Qual o “melhor” wing load?5aaaWKCgTIykzK-9hL54bw

Essa questão envolve um equilíbrio que torna uma resposta definitiva impossível. Um número não pode ser quebrado devido a duas razões:

  1. Alguns velames são capazes de vôos e pousos seguros em certos wing loads e outros não. Por exemplo, se um atleta com 80kg de peso na saída acha que um Sabre 150 voa e pousa do jeito que ele quer, ele deve ter cuidado para não presumir que o mesmo se aplica a todos os velames de 150 pés.
  2. Pessoas julgam características de voo de acordo com sua experiência, o que varia bastante. Muitos são aconselhados a mudar o velame porque algum expert disse que seu wing load estava conservadoramente baixo. “Bem, com base em quê?”

Exemplo:

Considere dois alunos:

1 – Um atleta de 45kg (100lb)

O equipamento desse atleta, mais sua roupa pesam 12kg (26lb), como aluno ele tem saltado com um 260 pés, e agora está pronto para comprar seu primeiro equipamento. Ele ouviu falar que um wing load de 1.0 é o “correto”, mais um amigo disse pra ir um pouco mais devagar e começar com 0.8. Ele escolhe ser mais conservador e faz as contas, 57kg (126lb) dividido por 0.8 igual 158 pés quadrados. Que mudança enorme de um 260! Enquanto o 260 parece flutuar no céu, o 158 parece vir gritando para o chão!

2 – Um atleta de 90kg (200lb)

O segundo atleta tem o mesmo número de saltos, mas pesa 90kg (200lb). Ele começou com um PD-300, mas fez a transição para o 260 nos últimos saltos. Se ele quiser o mesmo wing load de 0.8, provavelmente vai se desapontar. Por quê? 102kg (226lb) dividido por 0.8 igual a 281 pés quadrados. Ele deveria estar saltando com um velame ainda maior!

Então o mesmo wing load pode parecer bem lento para um, mas positivamente assustador para outro.

j4Ki-OjaRrO2eBJnNyULnAE sobre o nível de experiência?

Definir o nível de experiência tem se tornado mais complicado. Esses dois atletas talvez tenham o mesmo número de saltos e habilidades de voo similares, mas suas experiências sob o velame certamente são diferentes. O “tipo” de experiência, ao invés de número de saltos, é mais importante quando nos referimos a habilidades de pilotagem. Lembre-se que é tudo relativo ao o que você está acostumado. Não seja tão apressado para diminuir mais um tamanho porque você pousou bem dessa vez em um campo aberto sem nenhum tráfego. Você pode se surpreender no quão difícil pode ser pousar em uma área pequena.

Tenha cuidado ao falar sobre “alto” e “baixo” wing load para outros. Se você estiver confortável com o seu wing load de 1.6, então um salto com o velame novo de um amigo a 1.2lb/pés quadrados vai parecer facilmente dócil. Mas não descreva-o como dócil para o novo dono, ou mesmo para alguém com duas vezes a quantidade de saltos que você! Você provavelmente vai enganá-lo.

Mudanças na Performance

É importante estar completamente preparado para uma mudança nas características de voo de um alto wing load antes de aumenta-lo.

Velocidade

A mudança mais óbvia é a velocidade. Entretanto, a nova sensação de uma grande velocidade um dia vai passar a ser normal, e talvez até lenta, mesmo que certamente não seja. Muitas pessoas trazem essa experiência adicional para o próximo velame menor ainda e depois voltam atrás. Mas a que custo?

Razão de descida

Indo para um tamanho menor de um modelo específico, quanto menor for o velame mais vai aumentar a velocidade e a razão de queda – o que significa menos tempo para colapsar seu slider e menos tempo para brincar. Em um alto wing load, o voo pode ser divertido, mas o tempo é normalmente menor.

Razão de planeio

A razão do movimento a frente comparado com o movimento descendente no ar – é reduzida conforme o wing load vai aumentando. A razão de planeio é a razão de deslocamento. Quando aumentamos o wing load do paraquedas, nos tornamos um peso maior, então o corpo da pessoa tem proporcionalmente uma percentagem mais alta de arrasto. O resultado é um deslocamento mais fraco.

Vento

Outra mudança é como o atleta é afetado pelo vento sob o velame. Tenha em mente que a razão de planeio não é a mesma coisa que a distância percorrida até o chão pois o vento entra em jogo. Um wing load mais alto facilita que você penetre uma camada de vento. Em um vento de cauda, por outro lado, pode ser que alguém usando um velame grande com 7 células vá mais longe que você em completo deslocamento no seu 170, mesmo que a razão de planeio dele seja menor. Entretanto, qualquer pessoa pode segurar os freios para diminuir o deslocamento enquanto estiver voando, e a quantidade exata de freios pode ajudar consideravelmente em pousos com ventos fortes.

Velocidade de estol

Quando você vai para altos wing loads, a velocidade de estol aumenta. Um estol pode acontecer de repente, sem aviso, e em alta velocidade. Isso significa que não é possível voar lentamente em aproximação em uma área apertada, da mesma forma que você faria com um wing load maior.

Pousos UULAMcrWRvWj_8uWtV7eHw

A velocidade do pouso também é maior. Uma vez que descemos bem mais rápido na final, o velame deve trabalhar mais no flare para alcançar a taxa zero de descida. Com menos velame, isso deve também funcionar de forma mais eficiente. Para extrair essa eficiência o método de flare deve ser mais preciso. Mover os batoques mesmo que poucos centímetros pode ter um grande efeito no resultado do pouso.

Por outro lado, um velame grande de aluno desde devagar na final. Ele não tem muito trabalho para atingir a taxa zero de descida, e tem muita área para trabalhar. Entretanto, uma variedade de métodos de freios inexperientes vão resultar em um pouso razoável. Baixar os batoques apenas 30 centímetros vão dificilmente afetar o pouso. Ainda que uma técnica pobre possa resultar em um pouso suave em um velame grande, muitos alunos desenvolvem maus hábitos de pilotagem. Em muitos casos, os alunos levam a técnica pobre para um velame menor e mais rápido no futuro, e eventualmente isso causa problemas de pousos.

Na segunda parte desse artigo, John LeBlanc discute as técnicas de pilotagem de velame para voar em altos wing loads.

zYeewgY-S4K2hYAAee8JoAJohn LeBlanc

John LeBlanc é Vice-Presidente da Performance Designs e está na empresa desde 1984, ajudando no crescimento da PD desde que era operada por duas pessoas até ser uma empresa que emprega 300. Ele é o designer dos velames: Stiletto, Spectre, Sabre 2, Velocity, Katana, Storm e Peregrine. Ele é conhecido pelos seminários sobre técnica de pilotagem e segurança. John é Bacharel em Ciências Aeronáuticas, tem mais de 6 mil saltos em 36 anos, é piloto commercial, instrumental e multi-motor.


One thought on “Wing Load e Alta Performance

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *